Sobre o João Filocre

  • Secretário Adjunto de Educação de Minas em dois períodos: 1997 a 1998 e 2003 a 2010. Estruturação e desenvolvimento de vários programas e projetos: Peas Juventude, Programa de desenvolvimento Profissional de Professores (PDP), Programa de Formação Profissional (PEP), Certificação Ocupacional, Escola Viva, Alfabetização no Tempo Certo, Rede Mineira de Formação de Educadores, Escolas em Rede, Escolas-Referência, Centro de Referência Virtual do Professor (CRV), dentre outros. Presidente do Comitê Gestor do PEP, da Comissão de Elaboração do Plano de Carreira dos Profissionais da Educação Básica e do Grupo de Estudos que elaborou a proposta de remuneração por subsídio.
    • Professor de Física em escolas públicas e privadas de nível médio e do Colégio Técnico da UFMG. Licenciado pela UFMG. Mestrado em Ensino de Ciências e Doutorado em Educação na USP. Docente do Programa de Pós-Graduação em Educação da FaE/UFMG. Orientador do Mestrado em Tecnologia do CEFET/MG.
    • Diretor Geral do Centro Pedagógico da UFMG. Diretor do Centro de Ensino de Ciências e Matemática (CECIMIG). Coordenador de vários projetos destinados à formação de professores e à melhoria do ensino de ciências e matemática na educação básica.

    8 respostas a Sobre o João Filocre

    1. arlete gonçalves lages disse:

      Prof. João,
      Encantei-me com seu entusiasmo enquanto professor do Cecimig. A partir daí, nunca mais perdi a vontade de ensinar. Toda vez que leio o poema de Rubens Alves
      entendo porque dediquei tantos anos ao ensino de Ciências.
      “Se fosse ensinar a uma criança a beleza da música
      não começaria com partituras, notas e pautas.
      Ouviríamos juntos as melodias mais gostosas
      e lhe contaria sobre os instrumentos que fazem a música.
      Aí, encantada com a beleza da música, ela mesma me pediria
      que lhe ensinasse o mistério daquelas bolinhas pretas escritas sobre cinco linhas.
      Porque as bolinhas pretas e as cinco linhas são apenas ferramentas
      para a produção da beleza musical. A experiência da beleza tem de vir antes”.
      Rubem Alves

    2. Marciana Almendro David disse:

      Olá João.
      Parabéns pelo BLOG!
      Realmente, você não poderia sair de cena sem dizer nada, depois de tantos projetos bem sucedidos nos últimos 8 anos. Penso que este BLOG poderá contribuir muito para manter a memória desses projetos, além de proporcionar informações seguras a todos os interessados pela educação pública.

    3. Walmiki Dolabella Bicalho Junior disse:

      Prof João Filocre,
      Primeiramente parabéns pelos programas e projetos que foram desenvolvidos e acompanhados pelo senhor durante esses ultimos 8 anos.
      Creio que o senhor seria a pessoa certa a me responder algumas dúvidas, a respeito do PNE em vigor e o novo PNE.

      O que pregava o PNE do período anterior (que ainda está em vigência até que a nova proposta seja aprovada)? O que mudou na proposta nova? A perspectiva de atendimento do previsto no PNE novo é melhor ou pior que o previsto no anterior?

      Gostaria de obter essa resposta para concluir um trabalho de faculdade.
      agradeço a atenção!

    4. maria aparecida junqueira coli disse:

      Professor João Filocre, conheci o senhor, em 1997, desenvolvendo o projeto “A diferença entre meninos e meninas no processo de alfabetização”, coordenado pela professora Agnela. Que bom ter encontrado seu blog e saber que continua com este entusiasmo pelos projetos educacionais. E até apresenta com clareza a questão do piso no STF. E adverte professores para que se mantenham na carreia construida ao longo da vida.

    5. PROFESSORA MARIA JOSÉ GONÇALVES disse:

      GOSTARIA DE RECEBER , O EMAIL PARA CONTATO COM O PROF. JOAO FILOCRE.
      OBRIGADA
      MARIA JOSÉ GONÇALVES.
      EM TEMPO:PODE SER O TEL. DE CONTATO.

    6. Ana Lúcia Motta Baeta disse:

      Prezado Professor Filocre,
      Vejo que os comentários aqui escritos são reconhecimentos sinceros de seu trabalho nos últimos anos, quando, juntamente com a Profª Vanessa, o senhor apostou todas as cartas na implementação de projetos arrojados e inovadores na SEE e o mais importante: que deram bons resultados. Um deles foi a criação do Centro de Referência Virtual do Professor, em paralelo à implementação dos CBC. Hoje, o CRV desperta interesse e serve de modelo para vários estados, que querem também ter o seu ambiente virtual de comunicação com o professor. Querem também criar um canal interativo com esse público tão peculiar, crítico e ao mesmo tempo necessitado de apoio. No início foi tudo ideia do senhor.
      De repente se afasta da linha de frente o secretário adjunto, mas nunca sairá de cena o semeador de sonhos, a ousadia e a liderança de um educador que já faz parte da história da educação em Minas Gerais, e em grande estilo. Parabéns pelo seu blog, pela grande capacidade de se comunicar (bem como ninguém!) e pela realização de mais esse ideal, certamente sementeira de muitos outros.
      Ana Lúcia Baeta

    7. cristiane Bento disse:

      Muito obrigada pela resposta, vou procurá-los para ver minha situação. Continue firme e que Deus nos abençõe amém!!!!!

    8. Idinei Corrêa da Silva disse:

      Filocre, Boa noite na sua opinião o que podemos fazer para que o governo não posicione todos os professores independente do tempo de serviço e grau de escolaridade no mesmo nível tendo o vencimento básico de um professor de nível médio de escolaridade R$ 712,20. Esse procedimento é legal? A lei do piso permite não considerar a escolaridade?

    Deixe uma resposta

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *